ter. set 27th, 2022

Odontologia Japonesa X Odontologia Brasileira

A História da Odontologia no Japão

Tanto a China quanto a Coreia exerceram uma grande influência no desenvolvimento da medicina no Japão. Principalmente no século IV, quando missionários budistas trouxeram consigo alguns textos médicos chineses.

No século X, Yasuyori Tambano, descendente de um imperador chinês, emigrou para o Japão e tornou-se não apenas um cidadão japonês, mas o médico mais famoso de sua época. Foi sob a supervisão deste médico estrangeiro, o pai da medicina japonesa, que “Ishinho” foi escrito o mais antigo livro médico japonês existente.

O governo Japones dividiu a medicina em apenas quatro especialidades médicas reconhecidas: medicina, pediatria, cirurgia e otoophthalmostomatologia. E somente no século XII, no final do período Heian, a odontologia foi reconhecida como uma especialidade separada da ofologia e oftalmologia.

Fyyuyori Tambano, filho de Yasuyori Tambano, o pai da medicina japonesa, ganhou fama durante a era Kamakura por arrancar habilmente os dentes deteriorados do imperador Hanazono. Mas, foi o seu filho Fuyuyori Kaneyasu o primeiro profissional dentista oficialmente nomeado pela corte.

E a primeira escova de dentes foi introduzida no Japão por monges budistas, cuja religião exigia escovação de dentes e raspagem da língua antes das primeiras orações matinais.

Fonte: O Extremo Oriente: Japão, página 89. História da Odontologia Ilustrada, Malvin E. Ring. Livros de Mosby/Dyma.

Como funciona a Odontologia no Japão

Para entender melhor como funciona o atendimento odontológico no japão é importante conhecer a cultura japonesa que inclui, entre outros aspectos, tradições, idioma, modo de se relacionar, religião e costumes do Japão.

Culturalmente os japoneses não tem por costume questionar os conhecimentos dos medicos ou dentistas, os senseis. O respeito do povo japones pelos senseis é tão grande que não existe questionamento quanto as técnicas, práticas ou medicações que serão utilizadas durante os tratamentos, deixando-os livres para decidirem tudo, afinal, eles são qualificados e sabem o que é melhor. Talvez, por este motivo é que a odontologia Japonesa tenha se estagnado ao longo dos anos, pois não existem cobranças dos pacientes ou insatisfações explícitas que os façam buscar melhorias.

Já na área da tecnologia odontológica, o japão possui os melhores equipamentos e materiais do mundo, deixando a desejar apenas a parte clínica mesmo, em especial a estética, e é justamente por não oferecerem resultados estéticos satisfatórios que muitos estrangeiros optam por tratar os dentes no brasil.

No entanto, essa prática pode trazer ainda mais problemas, visto que depois que esses pacientes retornam ao japão não conseguem dar continuidade aos seus tratamentos e voltam a ter os mesmos problemas por falta de manutenção. Além disso, existe a barreira do idioma que dificulta a comunicação dos dentistas com os estrangeiros, que acabam indo em diversos profissionais diferentes a procura de um que lhe possa entender e oferecer um tratamento melhor.

O resultado de tudo isso é um paciente estrangeiro com frustrações acumuladas, medos e inseguranças.

E embora exista uma insatisfação muito grande vinda do povo estrangeiro, é importante respeitar o Japão e seus profissionais. Afinal, como dito antes, as práticas médicas e odontológicas do país está intimamente ligada a sua cultura, tradições e modo de se relacionarem entre si.

Agora vamos falar de coisas boas. Um ponto positivo no japão é o seguro de saúde (hoken), que cobre 70% dos valores dos tratamentos médicos e odontológicos no país inteiro. Criança, gestantes e portadores de algumas deficiências possuem 100% de insenção nos valores dos procedimentos cobertos pelo seguro. No brasil, o seguro de saúde não é tão eficiente na aréa odontológica e nos estados unidos e demais países nem sequer existe um seguro nacional para odontologia. Outro ponto positivo são os equipamentos e os materiais odontológicos de alta tecnologia e qualidade. Nesses dois pontos, o japão está de parabéns!

A História da Odontologia no Brasil

Relatos indicam que desde 1500 os índios já efetuavam a higienização bucal, em especial as tribos Ticunas e Satere-Mawe. Os Ticunas, passavam jenipapo na gengiva das crianças e quando adultos mastigavam plantas para higienizar a boca após o consumo de alimentos e carnes. O fio de tucum era usado como um fio dental e o talo de capim como escova de dentes. No entanto, essas práticas de higiene não foram consideradas como o início da odontologia no Brasil por se tratarem de técnicas rudimentares e precárias.

Os indícios sugerem que a odontologia no Brasil surgiu em 1500, quando os colonizadores portugueses chegaram no território brasileiro. O cirurgião português Mestre João.  Ao desembarcar no litoral da Bahia em 1500, já trazia da Europa técnicas curativas e de extração dentária. Durante esse período, a odontologia era extremamente limitada, os barbeiros, como eram chamados os dentistas na época,  se restringiam apenas a arrancar dentes fraturados ou podres.

No século XVII, autoridades portuguesas estabeleceram um documento que regularizava a prática odontológica. Foi estabelecido por lei, era necessário possuir uma licença para exercer a profissão. Ainda no século XVII, Gomes Freire de Andrade, um general português, sancionou um Regimento ao Cirurgião, com autorização de Sua Majestade. Esta pode ser considerada uma primeira parte da legislação brasileira do ofício da odontologia.

Fonte: Simpatio em https://simpatio.com.br/odontologia-brasil/ Odontologia no Brasil - Conheça um Pouco Sobre sua História

Como funciona a Odontologia Brasileira

No Brasil, existe um protocolo de atendimento a ser seguido, e um dos fatores preconizados dentro das práticas odontologicas brasileira, é a humanização, que por sua vez, supõe troca de saberes, diálogo entre profissionais e pacientes. Cenário bem diferente do Japão.

O problema já começa por ai, pois os estrangeiros brasileiros estão acostumados a serem atendidos dessa maneira.

Ao longo dos anos, a odontologia brasileira vem sofrendo grandes influência estéticas dos estados unidos. O que lhe confere ser uma das melhores nesta especialidade. No brasil, a saúde e a beleza andam de mãos dadas.

Um ponto negativo do brasil é que ele não possui um seguro de saúde nacional igual ao do Japão com cobertura odontológica ampla, os postos de saúde não possuem estrutura e nem vagas para atender a demanda da população, então, 99% dos atendimentos precisam ser particulares.

Quantos aos valores dos procedimentos odontológicos no brasil, estes constumam ser caros, porém, para quem mora no japão e converte a moeda, o valor aparenta ser mais barato. Por exemplo: O preço de um tratamento de canal no brasil varia muito dependendo do dentista. A média é de R$ 700,00 a R$ 1.200,00 para um dente da frente ou de R$ 1.000,00 até R$ 1.700,00 para um dente molar. Levando em consideração que no brasil o salário mínimo é de R$ 1.212 reais e no Japão o salário mínimo é de ¥150.000, ou seja, no brasil o paciente usa todo o seu salário para pagar o tratamento de apenas um dente.

Um ponto positivo é que atualmente a odontologia brasileira possui o melhor curso do mundo. A Odontologia da Universidade de São Paulo (USP) está no topo do ranking do Center for World University Rankings (CWUR). Além do primeiro lugar, as 4ª e 5ª posições também são de instituições brasileiras – Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), respectivamente.

Além disso, a ndústria odontológica brasileira é considerada a mais importante da América Latina. E é responsável por exportar produtos odontológicos para mais de 150 países.

E este cenário mostra o quanto a odontologia brasileira está em constante evolução.

Dentista Brasileira no Japão

Concluíndo, o brasil tem a melhor odontologia do mundo e o japão um seguro de saúde mais eficiente.

O meu objetivo como dentista brasileira no japão é integrar essas duas realidades, unir o que há de melhor em cada país e fazer uma nova odontologia, mais moderna, mais humanizada e mais justa. Que possa acolher e proporcionar uma experiência única, visando a saúde, a estética, a segurança e o bem estar dos pacientes.

Te ajudamos a encontrar as estratégias que podem te impulsionar para atingir seus objetivos.

Orientação gratuita de vida e carreira no Japão.

Fique por dentro!

Seja informado sobre novos artigos.

Veja mais:

Artigos

Atualidades Japão – Agosto 2022

Em primeiro lugar, vi um artigo no noticiário em julho de que a CyberAgent aumentará o salário inicial para novos graduados que ingressarem na empresa na primavera de 2023 para 420.000 ienes. Eu estava interessado em saber que tipo de trabalho poderia pagar um salário tão alto aos recém-formados e, quando olhei para o esquema de recrutamento de novos formandos no site, fiquei convencido. Parece que consigo 420.000 ienes/mês, mas incluía uma taxa fixa de horas extras de cerca de 170.000 ienes por 80 horas por mês (trabalho extra de cerca de 4 horas por dia). Sem incluir horas extras, eram 250.000 ienes/mês, então não era tão alto. Se você

Artigos

Qualificação de Kaigo com a Hello Work! Quais são os benefícios e o fluxo de aquisição?

Como obter uma qualificação de cuidados de longo prazo [Kaigo] com o Hello Work Para se qualificar para o Hello Work, você precisa receber o treinamento inicial no Hello Work. Isso é chamado de “Hello Training”. Existem dois tipos de formação, “formação profissional pública (formação para a rotatividade)” e “formação para candidatos a emprego”, dependendo se recebe ou não seguro de emprego. Obtido por meio de treinamento vocacional público O que é a formação profissional pública?  O treinamento vocacional público é um treinamento para candidatos a emprego que recebem seguro de emprego e também é chamado de treinamento de rotatividade. Você pode fazer este curso gratuitamente (você é responsável pelo custo

Deseja receber orientação gratuita?

Orientação de vida e carreira no Japão!